Creepers!

Publicidade:



Você sabia que os creepers, antigamente, eram calçados de guerra?

A Chanel trouxe de volta à moda os creepers quando os apresentou em seu desfile primavera/verão 2013, porém esse charmoso sapato não é mais uma das criativas invenções do estilista da marca, Karl Lagerfeld. Os creepers foram usados pela primeira vez por soldados em 1945 durante a Segunda Guerra Mundial. Criados para serem calçados de guerra foram batizados de brothel-creepers e eram perfeitos para serem usados na guerra porque eram resistentes e permitiam pisadas firmes. Nos anos 50 os Teddy Boys, integrantes de uma subcultura britânica, levaram os sapatos para as ruas. Os sapatos continuaram na cena underground durante os anos 60, 70, 80 e 90 fazendo parte do estilo dos punks, góticos, skinheads e rockabillys.

Hoje os creepers são protagonistas de desfiles de marcas reconhecidas mundialmente e de editorias de moda dirigidos por grandes e respeitados nomes do mundo da moda, além de passearem por ai nos pés de celebridades. O creeper é uma mistura de oxford com tênis que possui uma plataforma reta com relevos laterais e que para o verão 2013 aparece renovado, fabricado com materiais diferentes, em estilo botinha, sem cadarço, como sandália vazada, com aplicações de tachas, texturas ou fivelas e nas mais diversas nuances de cores. Os fabricantes mais tradicionais do modelo são as indústrias  inglesas Underground e T.U.K.

A coleção primavera/verão 2013 da Chanel veio inspirada em Maria Antonieta e trouxe creepers em cores suaves e acabamentos delicados, além de roupas românticas e chapéus e maquiagens irreverentes.

O modelo já apareceu em diversas revistas como Elle, Marie Claire e Vogue, já desfilou nas passarelas nacionais pelas marcas Triton e Amapô, e aparece seguidamente nos pés da cantora pop Rihanna que inclusive, já gravou um clipe com os estilosos sapatos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Publicidade:


Compartilhe este artigo com suas amigas:

   

Curta nossa página no Facebook


Comentários através do Facebook

Sem Comentários.

Deixe um Comentário